Como trabalhar com material dourado?

Não é surpresa para ninguém que as disciplinas de língua portuguesa e matemática são fundamentais na escola. Menos surpresa ainda que, por serem tão essenciais, apresentem um número gigante de crianças com dificuldade em seu aprendizado, nos mais diversos anos escolares.

Segundo uma pesquisa realizada pelo MEC, 7 a cada 10 alunos chegam ao ensino médio com níveis insuficientes de compreensão em português e matemática. Isso ocorre, pois, os problemas com essas matérias não são solucionados assim que aparecem, ou seja, são “empurrados” para os próximos anos, aumentando o seu grau de complexidade.

Em matemática, é possível diminuir esse índice por intermédio do uso do material dourado. Este recurso pedagógico, auxilia para que o ensino da disciplina ocorra de forma mais dinâmica e quebre as barreiras para um maior entendimento. No entanto, é importante saber como trabalhar com material dourado para que os resultados sejam satisfatórios.

Pensando nisso, neste artigo, vamos abordar as diversas possibilidades de como utilizar o material dourado em sala de aula, ampliando assim, a compreensão dos algoritmos, das operações básicas e auxiliando nas resoluções de problemas matemáticos. Acompanhe!

O que é e para que serve o material dourado?

Para iniciar, daremos uma breve explicação sobre o que é material dourado e para que serve.

Antes chamado de “material de contas douradas”, o material dourado, criado por Maria Montessori (1870-1952), tinha o objetivo de auxiliar com a realização de contas e compreensão dos algoritmos. Entretanto, com o passar do tempo, ele foi aprimorado e hoje é possível utilizá-lo para outros fins, como resolução de problemas e até mesmo raiz quadrada.

Confeccionado em madeira, plástico ou EVA, esse recurso pedagógico é formado por placas, tiras e cubinhos. Com ele, é possível compreender a representação da unidade, dezena, centena e milhar e ainda ordenar os números conforme sua ordem e classe.

A sua utilização vem da ideia de que as crianças aprendem mais quando podem manusear as coisas, ou seja, somente a lousa não é capaz de surtir o efeito desejado na maioria dos alunos. Maria Montessori acreditava que o aprendizado tinha de ser concreto.

Neste cenário, o material dourado entra como um grande facilitador da aprendizagem, uma vez que por meio dele, as crianças:

  • criam maior autonomia;
  • reconhecem os erros que no papel passam despercebidos;
  • exploram os mais diversos sentidos;
  • desenvolvem o raciocínio lógico;
  • aprendem por meio de experiências concretas.

Em outras palavras, o material dourado surgiu com o objetivo de auxiliar na disciplina da matemática. Contudo, neste mesmo contexto, ele consegue melhorar diversos aspectos além da aprendizagem em si.

Como trabalhar com material dourado?

Existem diversas maneiras de trabalhar em sala de aula, que vão desde as atividades que já conhecemos, até a construção de jogos com material dourado educativos. No entanto, é preciso ter atenção ao ano escolar das crianças, ou seja, nem todo exercício é bom para todas as turmas. Tudo vai depender do nível em que se encontram.

Dito isso, vamos conhecer algumas das principais atividades com material dourado. São elas:

  • realização de operações básicas (soma, subtração, multiplicação e divisão);
  • classificação de números;
  • reconhecimento de unidade, dezena, centena e milhar;
  • resolução de problemas;
  • exercícios com antecessor e sucessor;
  • jogos em grupos.

Para trabalhar essas atividades em sala de aula, é muito simples, basta fazer com o material dourado, aquilo que está proposto nos livros didáticos. Em outras palavras, é como dar um “visual novo” àquilo que os alunos já conhecem.

Por exemplo, se no livro didático temos exercícios de adição e subtração, é possível realizar esses mesmos exercícios com o material, ou seja: 1 cubinho + 1 cubinho = 2 cubinhos. Já se a atividade proposta é para os alunos escreverem o antecessor e o sucessor do número 10, por exemplo, eles podem usar 9 cubos para representar o antecessor e 1 tira + 1 cubo para referenciar o sucessor.

Portanto, para trabalhar com o material dourado em sala de aula, não há segredos, uma vez que todas as atividades matemáticas podem ser adaptadas, tornando-se concretas e transformando o ensino em algo mais dinâmico e agradável aos alunos. Contudo, é preciso se atentar a série em questão, para que os exercícios estejam de acordo com a faixa etária.

É importante destacar que, além do uso do material dourado físico, também é possível usar o recurso de forma on-line. Caso queira se aprofundar no assunto e trazer uma dinâmica diferente para a sala de aula, acesse o nosso conteúdo sobre como usar o material dourado virtual, no qual explicamos sobre as atividades detalhadamente.

Ficou claro como trabalhar com material dourado?

Esperamos que este artigo tenha sido útil e que tenha ficado claro a facilidade em como trabalhar com material dourado em sala de aula. Conforme falamos no decorrer do conteúdo, implementar o recurso pedagógico para uma melhor aprendizagem dos alunos, é uma tarefa mais simples do que parece.

Os livros didáticos são uma excelente ajuda nessa missão, isso porque, por meio deles, é possível adaptar as atividades propostas para a utilização do material. Desta forma, os alunos não deixam de cumprir os objetivos do livro, porém de maneira muito mais dinâmica. Além disso, muito mais que um aprendizado efetivo, outras áreas também podem ser exploradas, como a autonomia e a interação entre os colegas de classe.

Se você ainda tem alguma dúvida de como trabalhar com material dourado, deixe o seu comentário. Será um prazer lhe ajudar. Não se esqueça de compartilhar este conteúdo com outros professores que também estão inseguros quanto ao uso deste recurso pedagógico em sala de aula.

E, se você gostou deste artigo, leia também o nosso outro conteúdo que aborda um tema muito semelhante a este, que é sobre como usar o material dourado.

Boa aula e até a próxima!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.